domingo, 24 de abril de 2011

Férias Descartáveis...

Estar de férias tem significado uma estranha, e anacrónica, constatação de um certo dualismo... Se é certo que a mente/espírito quer usufruir ao máximo deste período de ócio, o corpo/matéria insiste em encontrar razões para que tal não aconteça, ostentando um extenso rol de sintomas visíveis à medida que o período de vacaciones se começou a aproximar.

Conseguirei derrotar este dualismo e dar férias ao Descartes até as minhas próprias férias acabarem?... I hope so...

Sem comentários: